terça-feira, 9 de abril de 2013

Esforço Reconhecido

Ela insistiu, teimou, discutiu e, sem dar ouvidos  à família e aos amigos, foi até o Lami "salvar" um Bonde! Isso mesmo, um bonde histórico, peça fundamental da memória da cidade, cujo triste destino - não fosse a atitude corajosa (insana, para alguns) da dona Kika, seria virar ferro velho. 

Zilka D´Ornelas Ponsi, ou simplesmente Kika, como é conhecida no seu Atelier do Bonde, é a heroína dessa história. Uma história que começou no ano de 1998, quando a aposentada e artista plástica autodidata resolveu comprar um bonde, onde funcionava uma Igreja Evangélica. O veículo (de 3m de largura por 13m de comprimento) tornou-se pequeno para a quantidade de fiéis, e o pastor não tinha mais como mantê-lo em seu terreno, pois pretendia construir ali um salão maior para exercer seus cultos religiosos.

O bonde foi transportado numa carreta do Bairro Lami à avenida Otto Niemeyer, acompanhado por guardas de transito da EPTC em motocicletas. Um alvoroço para os moradores da região, que se aglomeraram na calçada para assistir a chegada do bonde, derrubando o muro da pequena casa, onde passou a habitar. Kika, com recursos próprios, manteve o aluguel do terreno, consertou o muro, restaurou o bonde como pôde e construiu no espaço um simples ateliê de artes a fim de exercer seu hobby de pitora e artesã e para reunir amigos.

A iniciativa multiplicou-se, e em 2009 foi realizada a inauguração oficial do Atelier do Bonde, abrindo espaço para a visitação pública orientada (e previamente agendada) e para o desenvolvimento de atividades artísticas e culturais. A partir daí, iniciou-se uma agenda cultural variada com atividades ligadas às artes em geral, como artes visuais,  artesanato, fotografia, teatro, circo, música, dança, literatura e também para a conscientização ambiental, com o apoio da Prefeitura de Porto Alegre. Até um trapézio foi instalado em frente ao ateliê e do lado do bonde para que a trapezista Mima Ponsi (filha de Kika) treinasse e apresentasse suas performances artísticas.

Já no ano de 2010, ocorreu a Assembléia de Fundação da Associação Histórica, Artística e Cultural do Atelier do Bonde (HACAB), em cuja missão estão a conscientização histórica e sócio-ambiental, e a difusão e integração artístico-cultural, com enfoque na cultura, educação, cidadania e sustentabilidade socio-ambiental. Atualmente, a HACAB, em fase de registro, desenvolve projetos em parceria com ONGs e demais entidades, participando de editais do governo.

E então, depois de tudo isso, dá para dizer que Kika é só uma simples aposentada que cultiva memórias, ou uma personalidade de visão ampla e ilimitada prestes a revolucionar o panorama artístico e cultural da cidade?

OBS: A matéria da Zero Hora contém um pequeno equívoco, o bonde foi comprado por Zilka Ponsi, aposentada, e não por Glaucia Scherer, Artista Plástica colaboradora do Atelier do Bonde.

Nenhum comentário:

Postar um comentário