domingo, 28 de abril de 2013

Sonho realizado: a 1ª Feirinha do Bonde!

Sucesso total na inauguração do Bazar do Bonde, uma feirinha de produtos - a maioria feitos artesanalmente - para o Dia das Mães. Idealizado pela moradora da Otto, Claudia Pardal, e vizinha do ateliê há mais de dez anos, o evento aconteceu numa linda e quente tarde de domingo.

Claudia reuniu amigos, familiares e membros da comunidade da Zona Sul para organizar uma feira comunitária como forma de incentivar a economia solidária e promover o desenvolvimento autossustentável do Bairro Tristeza. A preservação do bonde como parte da história da cidade é um de seus objetivos ao aliar-se à proprietária, Zilka Ponsi, e sua filha Angela.

Espaço para arte e artesanato não faltou: o grupo foi chegando e ocupando, à vontade, as áreas externas e internas do Atelier do Bonde. Alguns chegaram no dia da abertura da feira, sem conhecer o local, atraídos pela matéria do Caderno ZH Zona Sul. Sem cerimônia, as artesãs (e novas amigas) apresentaram-se rapidamente às organizadoras e seguiram montando seus estandes de venda. 

Era mesa arrastada pra cá, era cadeira arrastada prá lá, e aquela gente toda amontoada, reunida, compartilhando solidariamente o mesmo espaço. Senhoras habilidosas traziam trabalhos em crochê, tricô ou costura - fuxicos, patch work  retalhos...  Espalhados pelo pátio, pelo ateliê e pelo bonde, foram expostos móveis de demolição, peças de artesanato, um pequeno brique, produtos de beleza, moda e acessórios. Os maridos carregavam as sacolas e movimentavam os móveis, a criançada corria alegre de um lado a outro. O cachorro latia lá no fundo, querendo também participar. Uns ajudavam os outros a montar as bancas - exemplar trabalho de equipe!

Artigos reciclados foram o "top" do momento: flores de garrafa pet; bonecos de retalhos e restos de lã; artesanato de caixinhas de ovos; bijuterias feitos de sobras de botões, tecidos, miçangas e até de revistas usadas chamaram a atenção. Afinal, a moda agora é cuidar do planeta - é a economia sustentável invadindo o cotidiano da população. Lanches naturais também foram comercializados para os feirantes, que revesavam entre suas bancas e as vizinhas para compra e venda. O Bonde parecia sorrir.

Com o sol já se pondo, os expositores foram desmontando suas banquinhas, trocando endereços, telefones e e-mails... Um sentimento suave de prazer pelo trabalho cumprido com êxito e a certeza de que novas feiras irão acontecer para dar continuidade à iniciativa de Claudia e das proprietária do ateliê. A ideia é que, pelo menos, um domingo de cada mês venha a ser ocupado com a fantástica e maravilhosa Feira do Bonde!

Magnífica reportagem da Jacqueline Custódio sobre o nosso Bazar em http://chega-de-demolir-portoalegre.blogspot.com.br/2013/04/bonde-sobreivente.html