quinta-feira, 17 de junho de 2010

Ângela Ponsi e Verônica Bilhalva na Rádio Ipanema Comunitária

Na noite de quinta-feira do dia 17 de junho, com muita descontração e entusiasmo, Angela Ponsi e Verônica Bilhalva conversaram sobre projetos, idéias, sonhos e ideais em comum com a nova amiga e parceira de atividades sócio-culturais, artísticas e ambientais Angela Pelin ao vivo no programa Comunidade Viva da Rádio Ipanema Comunitária (87.9 FM). O programa contou com a supervisão técnica de Lothar Gutierrez na mesa de som. 

Verônica Bilhalva falou sobre o trabalho psicopedagógico da Oficininha no Atelier do Bonde com crianças em idade escolar, dando dicas aos pais e professores de como introduzir a criança no universo criativo, facilitando a expressão e o desenvolvimento motor, sensorial e educacional por meio da arte, a fim de incluir a criança nas atividades escolares e sociais. A psicopedagoga explicou a importância do atendimento individual à criança com necessidades especiais e de como facilitar o processo de aprendizado por meio de brincadeiras, práticas artísticas e exercícios de imaginação criativa, explorando os espaços lúdicos dentro e fora do bonde. Ressaltou também a necessidade de explorar a consciência ecológica infantil e facilitar o conhecimento da história e da cultura em nossa cidade. Ainda, deu dicas sobre o relacionamento dos pais com os filhos adolescentes, o cuidado com as drogas, bem como formas de despertar talentos latentes através do ensino da arte.

Ângela Ponsi falou sobre a história, criação e programação cultural do Atelier do Bonde, mencionando os amigos e parceiros culturais (entre esses Alexsandro Garga, Liverson Borghesi e Rogério Hock), artistas do teatro, circo, artes plásticas, música, dança, poesia e literatura. Apresentou os cursos e oficinas de arte como as aulas de pintura com a artista plástica e professora de pintura em tela Glaucia Scherer, explicando a proposta de parceria com outros artistas que desejam partilhar o espaço. Destacou as atividades ambientais e os apoios recebidos de empresários locais e da Secretaria do Meio Ambiente, representada pela figura da bióloga e gestora da Reserva do Lami Patrícia Witt, mentora das atividades ecoeducacionais desenvolvidas no atelier e na oficininha. A arquiteta falou sobre o mutirão para revitalização e reforma da Casa do Artista Riograndense, localizada no Bairro Glória, que abriga artistas idosos desde a data de sua fundação no ano de 1949, solicitando a ajuda de todos. Ângela mencionou o projeto para a criação de uma ONG cultural e ressaltou com admiração as atividades e conquistas da Associação Comunitária de Ipanema, parabenizando o trabalho da entrevistadora Ângela Pelin na criação do Centro Cultural da Zona Sul, oferecendo-se para ser parceira nas atividades culturais e artísticas da entidade.

Por fim, Ângela Pelin encerrou o programa com uma pergunta para servir como reflexão: O que as moças esperavam para o futuro a partir das idéias e projetos iniciados no Atelier do Bonde? Formariam multiplicadores de ações em prol da cultura e do desenvolvimento social do nosso bairro e da cidade como um todo? A resposta ficou no ar, ou, quem sabe, será tema de um novo debate no mesmo programa?

Para quem perdeu a entrevista de Ângela Ponsi e Verônica Bilhalva na Rádio Ipanema Comunitária, poderá assistir a reprise neste sábado, dia 19 de junho, às 11h, no programa Comunidade Viva com Angela Pelin. Para escutar a programação da Rádio Comunitária Ipanema diretamente pela Internet, basta acessar o blog da rádio:
http://ipanemacomunitaria.blogspot.com/
Na opção "Ouça ao Vivo", você ficará por dentro dos principais acontecimentos da vida comunitária da Zona Sul, em meio a eventos sociais, programação cultural, atividades esportivas, educacionais, artísticas entre outros assuntos interessantes, curiosos e atuais.

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Escola Amoreco e a Exposição da Reserva Biológica do Lami José Lutzenberger

Interessante como as crianças possuem um senso ecológico muito mais avançado do que o do adulto. O Atelier do Bonde tem desenvolvido um trabalho ecopedagógico, orientado pela psicopedagoga Verônica Bilhalva, no qual é possível observar claramente o interesse da criança pelo meio ambiente durante as atividades de arte. Por isso, acreditem ou não, é muito mais fácil falar da necessidade do cuidado com a natureza a uma criança. Ela intuitivamente compreende a importância das árvores, da água e dos animais, pois enxerga a beleza naturalmente.


Toda criança aprende a desenhar retratando grandes árvores frutíferas, borboletas divertindo-se livres em meio a arco-íris coloridos, iluminados por um sorridente sol brilhante, sobre nuvens brancas decorando o céu azul. Assim é a visão pura de uma criança, que sabe valorizar o que a vida nos dá de graça, percebendo toda a magia existente no contato com a natureza. Esses pequeninos não deveriam ser obrigados a aprender com os adultos, que perderam a espontaniedade, e sim ensiná-los com a mais bela lição da vida: a beleza está na simplicidade, na brincadeira, no respeito com o outro e com todas as formas de vida.

Vendo a garotada brincar no pátio do atelier, ou encantada com a vegetação exótica e com os diferentes animais presentes na exposição de fotos da Reserva do Lami, podemos ter esperanças de que o nosso planeta está seguro e que um futuro melhor nos espera. Vamos incentivar nossas crianças a brincar de esconde-esconde atrás de árvores, a imitar o som dos pássaros, a cantar canções sobre a natureza e os animais, a escutar fábulas infantis, a ler livros coloridos e a desenhar árvores verdes, maçãs vermelhas, vaquinhas, patos, zebras e leões. Assim, por certo teremos um adulto ecologicamente consciente e especialista na ética humano-ambiental.


domingo, 13 de junho de 2010

Angela e Mima Ponsi na Casa do Artista Riograndense

A Casa do Artista Riograndense (Rua Anchieta, 280, no Bairro Glória) é um local destinado ao abrigo de artistas aposentados pela idade e que continuam a brilhar em toda a sua plenitude para a alegria do público, ávido por arte e encantamento. O que dizer desse lugar mágico? Que necessita de alguns reparos? Que precisa de ajuda para a manutenção de suas instalações? Que carece de uma nova pintura e algumas reformas?
Prefiro dizer que a casa, assim como está, um pouco desgastada pelo tempo, transborda beleza e alegria. E, se pararmos para pensar, haveria necessidade de algo mais? A Casa do Artista venceu em seu propósito: abriga esses artistas com carinho, cuidado e atenção, e eles retribuem mantendo a casa impecavelmente limpa e delicadamente decorada com obras artesanais feitas pelos próprios moradores. Quem faz a limpeza, a comida, cuida da decoração e recebe os visitantes de braços abertos? Ora, os residentes, artistas de teatro, cinema e circo, músicos e radialistas, que mantém seu talento artístico sempre vivo e pronto para compartilhar com aqueles que entendem o verdadeiro significado da beleza e da arte.

Compartilhar, eis a palavra correta para definir essa tarde mágica com os artistas moradores da Casa, Zé da Terreira e Catulo Parra, acompanhados pelo Presidente da Casa do Artista, Luciano Fernandes, que receberam Ângela e Mima com muito carinho e entusiasmo e ainda as presentearam com um belo e divertido show de música, dança e fantasia. E para completar esse dia inesquecível, os três artistas seguiram com as duas irmãs rumo ao Atelier do Bonde para lá continuarem as apresentações de música e teatro.






E o nosso bonde cultural teve a sorte e a honra de receber, no dia de hoje, esses dois grandes artistas tão importantes para a história cultural da nossa cidade, junto com o jovem Presidente da Casa do Artista. Zé da Terreira, Catulo Parra e Luciano Fernandes são os mais novos amigos e parceiros culturais do Atelier do Bonde. O bonde e a equipe de artistas do atelier agradecem de coração pela calorosa recepção na Casa do Artista e a adorável visita em nosso espaço de arte!


Veja o blog da Casa do Artista Riograndense: http://www.casadoartistariograndese.blogspot.com/