sexta-feira, 11 de junho de 2010

O nobre trabalho dos guarda-parques

Durante os eventos de comemoração da semana do meio ambiente, o Atelier do Bonde não poderia deixar de mencionar o nobre trabalho desempenhado pelos guarda-parques na proteção e fiscalização de parques, reservas e unidades de conservação. São eles responsáveis pela salvaguarda do ambiente natural em áreas protegidas, dedicando-se a cuidar da natureza com atenção e afinco, respeitando todas as formas de vida animal e vegetal. Compete aos  guarda-parques zelar pelo patrimônio físico das áreas de proteção, combater incêndios florestais e garantir a segurança dos visitantes, praticando ações de vigilância não armada e não ostensiva. Para agir com efetividade, contudo, muito além do trabalho de proteção e vigilância dentro de sua área de atuação, cabe a cada um desses profissionais a função de ser multiplicadores de atitudes de proteção e conservação da diversidade biológica e cultural.

O treinamento de um guarda-parques é extenso e envolve um profundo conhecimento dos problemas e das ameaças ambientais na região, aprendendo noções de ecologia, legislação ambiental, princípio de planejamento e sistema de segurança de unidades de conservação, patrulhamento e interpretação ambiental, relações humanas, noções de primeiros socorros e prevenção de acidentes. Um guarda-parques é, acima de tudo, um ser humano consciente da necessidade de preservar a biodiversidade e da importância de desenvolver ações de conscientização ecológica, através de campanhas educacionais e atividades de sensibilização ambiental, capazes de produzir a modificação do comportamento humano da civilização atual, a fim de garantir a sobrevivência das espécies e a qualidade de vida das futuras gerações.

Cabe informar que a Gestora da ReBio do Lami, Patrícia Witt, foi responsável por implantar o Sistema de Fiscalização Ambiental na unidade, por meio da capacitação e do treinamento de guarda-parques da SMAM, a fim de desempenhar suas funções na salvaguarda do ambiente natural, coibindo a caça a pesca na reserva, dentre muitas outras ações degradantes de que unidade havia sendo vítima constante. É importante salientar que a implantação do sistema de fiscalização da reserva partiu de um esforço individual da administradora e bióloga Patrícia Witt, que treinou os guarda-parques, destinando parte do seu precioso tempo como gestora na formação da guarda, fornecendo informação, equipamentos, uniformes, além de todo o trabalho de conscientização ambiental. Criada no ano de 1975, a Reserva do Lami José Lutenberger sofreu muito com a caça e a pesca clandestina, para,  somente em 2005, ter seus três guarda-parques trabalhando na proteção e fiscalização desse local abençoado pela natureza.

Especial homenagem ao Jorge Oliveira Sa, patrulheiro da guarda-ambiental da Reserva Biológica do Lami José Lutezenberger, por sua importante contribuição durante as atividades da Semana do Meio Ambiente no Bonde. Sem esquecer de mencionar e parabenizar o trabalho de mais dois guarda-parques da Reserva do Lami, Antonio Carlos Gadenz e Aírton Barreto da Silva, pelo trabalho prestado no cuidado e proteção à essa rica Unidade de Conservação da Natureza, com sua exuberante mata nativa e variedade de espécies animais e vegetais em extinção. Obrigada a Patrícia Witt e aos guarda-parques por sua importante contribuição ambiental. São pessoas assim, responsáveis e dedicadas ao cuidado do meio ambiente, que fazem nosso mundo melhor para se viver.

Um comentário:

  1. Ângela !

    Aplausos aos guardiões da reserva maravilhosa que representa a preservação da natureza !

    do amigo,

    Ialmar Pio

    ResponderExcluir